IV Colóquio Internacional "Cinema, Estética e Política"

O que sobrevive na fotografia de guerra?

junho 5th, 2015  |  Published in 2015, Sinopses_2015

por Kátia Lombardi


8.Afghanistanchronotopia-Simon Norfolk-2001

Afghanistan chronotopia – Simon Norfolk – 2001


A partir de uma seleção de trabalhos fotográficos que abordam guerras sem, contudo, mostrar as ações e os combates em si, apresentaremos outras maneiras de tratar a temática em questão. Trata-se aqui de trabalhos relacionados à presença/ausência de vestígios nos lugares onde os conflitos se deram. Fotógrafos como Sophie Ristelhueber, Simon Norfolk, Donovan Wylie e Paola De Pietri voltaram seus olhares para épocas passadas em busca daquilo que restou nos campos de batalha. Retomamos o pensamento de Walter Benjamin para pensar que a experiência histórica é marcada pelo inacabamento, pela descontinuidade, e no vestígio estaria a possibilidade de resgatá-la, ainda que parcialmente. Em contraposição à fotografia de guerra espetacularizada, comum em nossos tempos, as imagens dos trabalhos que serão comentados mostram o desencanto dos campos marcados pelas cicatrizes da guerra, pelo silêncio constrangedor que substitui os sons dos disparos, das ordens disciplinares, da movimentação dos soldados e de suas máquinas.



8.British watchtower-Donovan Wylie-2005

British watchtower – Donovan Wylie – 2005



8.Bunker Archaeology-PaulVirilio-1975
Bunker Archaeology Paul Virilio – 1975



8.Fait-Sophie Ristelhueber-1992
Fait – Sophie Ristelhueber – 1992



8.Hidden-Paul Seawright-2002
Hidden – Paul Seawright – 2002

Pesquisa

Sobre o Colóquio

O Colóquio Internacional "Cinema, Estética e Política" é promovido pelo Grupo de Pesquisa "Poéticas da Experiência", vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFMG, com auxílio da CAPES e da FAPEMIG. O colóquio acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de Junho de 2015, no Cine 104

Realização

Grupo Poéticas da Experiência
CAPES
FAPEMIG